domingo, 2 de novembro de 2014

http://lucynaosabesurfar.tumblr.com/

domingo, 1 de junho de 2014

Unattainable

- É impossível não gostar de você. Eu odeio ter de conhecido.

Nunca atenda o telefone às três da manhã. Desconecte o computador, mantenha a campainha desligada. Durma, só durma. Eu tenho cheiro de problema, está impregnado em mim. Eu transpiro caos e arrasto meu corpo pela madrugada chuvosa de quase inverno. Sim, eu estou suando com febre e com frio. E tremendo, tremendo muito. Como se eu tivesse acabado de quebrar toda a louça de uma casa qualquer, a casa de alguém, a louça de prata da bisavó de alguém, e estivesse sapateando descalça sobre os cacos. Meus pés doem, minha cabeça doí. Minhas costas pesam.

Mas eu não tenho tempo para o drama.
Vou guardá-lo para daqui três meses.

Até lá, seis gotas três vezes por dia.

sábado, 19 de abril de 2014

pelas tabelas

but now
but now
but now
enquanto tu espera seu relógio despertar
enquanto tu dorme serena mas com hora pra acordar
now
eu estou acordada e repleta
o céu não tem estrelas
só vejo a luz que passa pelo vão da porta.
agora
eu sinto
i'm here
finalmente

domingo, 13 de abril de 2014

sutiã

sobre o sorriso dos outros
sobre o toque dos outros
sobre o beijo dos outros
sobre isso que só você/tu dá jeito
isso que eu choro agora
esse frio que eu sinto agora
essa minha insistência constante
repetindo/repetindo/repetindo

vem. 

segunda-feira, 27 de janeiro de 2014

com a ponta dos dedos

tenho visto sonhos distantes se realizarem em segundos bêbados e luzes difusas.
tenho visto meus sonhos e durmo tão pouco pra sonhar.
tenho visto meus sonhos todos os dias, ali, ao alcance das mãos.
eu queria parar de vez com esse medo de dormir e não ter medo dessa realidade
essa
que brilha tanto na minha frente
te olhando
ali
e eu sem conseguir te tocar
e eu sem conseguir te dar um beijo discreto bem perto do ouvido
sem conseguir ser mais incisiva no pedido
dorme em casa
pode vir
a casa é sua
fica aqui e permaneça
aqui no meu vazio

e invada.
é isso que eu peço nas entrelinhas, invade esse espaço e tome pra si. decore meus livros. conheça cada canto. fique. fique.

eu prometi que diria e estou escrevendo.
FODA-SE
eu sei quebrar promessas.
eu sei amar os cacos.
eu sei amar, por mais que tudo pareça torto agora.

você me conheceu bem antes e eu senti que te conhecia de outras vidas. eu sabia, desde sempre.
venha e fique.

terça-feira, 21 de janeiro de 2014

quereres

porque tudo que faz meus olhos brilharem tem uma dose de impossível.
eu estou cansada de andar um passo e ver tudo se distanciar, Galeano.
faz 40 graus no sul.
e mesmo assim, eu enchi minha cama de edredons
e bichinhos de pelúcia
e travesseiros
e o computador
pra não cair no abismo vazio desse espaço que sobra do lado esquerdo.

(So, let's make things physical.)


eu quero parar de esbarrar com o amor em pensamento.
e esbarrar com o amor debaixo de algum lençol.

sábado, 18 de janeiro de 2014

mira ira

Eu quero que todo esse amor, esse "amor" e esse Amor que existe em mim exploda antes de coagular. 
Eu quero milhões de universos vindos disso. 
Eu quero que faça frio.
Eu quero que faça calor. 
Ontem estendi minha rede em marte e evaporei de tanta febre. Hoje eu sou um vaporzinho quente na beira do seu ouvido. 

Eu só quero que esse amor evapore. 
E que chova e me inunde de novo e de novo. 
Como se fosse coisa moderna mesmo sendo tudo que agora é e já se foi